Ir para o conteúdo

Prefeitura de Varginha - MG e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura de Varginha - MG
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEI ORDINÁRIA Nº 2776, 19 DE JUNHO DE 1996
Em vigor

 

 

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VARGINHA

 

 

 

LEI Nº 2.776


 


 


 

CRIA O SERVIÇO DE APURAÇÃO E CONTROLE DA ARRECADAÇÃO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.


 


 


 

O Povo do Município de Varginha, Estado de Minas Gerais, por seus representantes na Câmara Municipal, aprovou e eu, em seu nome, sanciono a seguinte Lei,


 

 

Art. 1º - Fica criado na estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, o Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação, subordinado ao Departamento de Tributação da referida Secretaria


 

 

Art. 2º - O Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação tem, dentre outros que forem cometidas, as seguintes principais atribuições:


 

 

I - Averiguar junto aos órgãos responsáveis – IBGE – Instituto Estadual de Floresta – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado de Minas Gerais, SUS/Fundos de Saúde, Fundação Estadual do Meio Ambiente, Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Estado da Educação, Secretaria de Estado da Fazenda e demais órgãos e entidades pertinentes, se as informações usadas para composição do índice social (Lei Estadual nº 12.040/95) estão sendo fornecidas adequadamente;

II - Trabalhar em consonância com as demais Secretarias, esclarecendo-as no sentido de que as prioridades administrativas sejam definidas, levando-se em conta o proveito do Município na distribuição da cota-parte do ICMS;

III - Fiscalizar e levar ao conhecimento da competente autoridade administrativa sempre que algum fato de ordem interna (Prefeitura) ou externa venha prejudicar o Município na otimização de seus repasses;

IV - Aumentar o universo de declarações apresentadas, dentro do cadastro existente no Município;

V - Garantir o correto preenchimento das declarações, sem erros ou omissões, de maneira a assegurar que os valores apurados se aproximem, tanto quanto possível, da realidade do Município;

VI - Conhecer profundamente as atividades dos maiores contribuintes, inclusive aqueles que iniciam prestações de serviços de transportes em seu território, mesmo que inscritos em outras localidades;

VII - Buscar junto aos produtores rurais situados no Município, informações relativas às saídas destinadas a contribuintes inscritos em outras localidades, relativamente ás operações para as quais não tenha havido emissão de notas fiscais avulsas ou de produtor rural;

VIII - Promover campanhas educativas que visem à conscientização da comunidade, esclarecendo-a quanto a importância da exigência de documentos fiscais avulsos ou de produtor rural;

IX - Participar conjuntamente com a Secretaria de Estado da Fazenda nas orientações quanto ao aspecto legal e tributário.


 

 

 

Art. 3º - Para fins do que dispõe o artigo anterior, ficam criados no Quadro Geral de Funcionários Públicos do Município de Varginha, os seguintes cargos, com lotação na Secretaria Municipal de Finanças:


 


 

SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS

DEPARTAMENTO DE TRIBUTAÇÃO

SERVIÇO DE APURAÇÃO E CONTROLE DA ARRECADAÇÃO

Nº DE CARGOS

DENOMINAÇÃO

NÍVEL/SÍMBOLO

01

Chefe do Serviço de Apuração e da Arrecadação

CPC-5

01

Fiscal de Rendas

E-10

01

Digitador

E-05

01

Escriturário

E-05

 

 

 


 

Art. 4º - O Cargo de Chefe do Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação de Provimento em Comissão, de livre nomeação e exoneração pelo Chefe do Executivo Municipal, será preenchido por pessoa possuidora de experiência e conhecimento na área que vai atuar.


 

 

Art. 5º - São atribuições específicas do Chefe do Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação:


 

Coordenar e supervisionar todo o serviço de apoio à Secretaria de Estado da Fazenda na apuração do VAF referente à movimentação de mercadorias;

Acompanhar o processo de coleta de informações que enseja a publicação das diversas variáveis pela Fundação João Pinheiro;

Manter os órgãos municipais cientes de quais são as empresas que devido ao seu potencial de benefício para o Município podem ou devem receber subsídios ou ajuda, evitando que empresas que trazem prejuízos ao repasse de ICMS ao Município recebam qualquer tipo de apoio ou ajuda da municipalidade;

Promover acompanhamento junto às Secretarias Municipais e demais órgãos onde suas ações possam trazer alterações para o repasse de ICMS, sempre visando a otimização da receita municipal;

Fornecer os subsídios necessários à Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral – SEPLA – para a elaboração dos orçamentos anuais do Município;

Manter a Secretaria Municipal de Administração e o Gabinete do Prefeito ciente de todas as previsões de receita para cada período de 02 (dois) anos;

Exercer outras atividades inerentes à sua área de competência.

 

 

 

Art. 6º - Os servidores lotados no Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação deverão guardar sigilo sobre dados e informações obtidas em decorrência do exercício de suas funções e pertinentes aos assuntos sob a sua jurisdição, utilizando-os exclusivamente, para fins previstos nesta Lei ou para elaboração de pareceres e relatórios destinados à chefia imediata.

 


 

Art. 7º - Objetivando facilitar o desempenho de suas atribuições, os servidores do Serviço de Apuração e Controle da Arrecadação possuirão documento especial de identidade funcional.

 


 

Art. 8º - O serviço ora criado terá, dentro de suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos da Prefeitura Municipal nas solicitações específicas de interesse do Serviço.

 


 

Art. 9º - As despesas oriundas da execução desta Lei correrão à conta de dotações orçamentárias próprias do fluente exercício, podendo o Prefeito Municipal suplementá-las, caso necessário, observando-se, para esse fim, o disposto no artigo 43 da Lei Federal nº 4.320, de 17 de março de 1964.


 

 

Art. 10 - Esta Lei poderá ser regulamentada por Ato do Chefe do Executivo Municipal.


 

 

Art. 11 - Revogadas as disposições em contrário, esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


 

Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhecimento e execução desta Lei pertencer, que a cumpram e a façam cumprir, tão inteiramente como nela se contém.

 

 

 

Prefeitura Municipal de Varginha, 19 de junho de 1996.

 

 

 

ALOYSIO RIBEIRO DE ALMEIDA

PREFEITO MUNICIPAL

 

 

 

LUIZ FERNANDO ALFREDO

SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Minha Anotação
×
LEI ORDINÁRIA Nº 2776, 19 DE JUNHO DE 1996
Código QR
LEI ORDINÁRIA Nº 2776, 19 DE JUNHO DE 1996
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia